Consciência Negra nas escolas: confira atividades para o ano inteiro

Consciência Negra nas escolas: atividades para o ano inteiro

193

O Dia da Consciência Negra marca a luta da população negra no Brasil. A data, que dá protagonismo a Zumbi dos Palmares no combate pela abolição da escravidão, é uma oportunidade para dar voz e resgatar nossa história, destacando a importância do povo africano para a formação social, econômica, cultural e política do país.

Veja mais:
Sistema de Gestão Escolar: deixe a papelada de lado
Melhore a comunicação com os pais usando uma Agenda Digital
Descubra como captar alunos para a sua escola ou curso

Em adequação à Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, a data entrou para o calendário das escolas e costuma ser trabalhada com feiras e semanas tematizadas, trabalhos acadêmicos e produção de materiais que trazem a resistência e a luta por direitos. 

Além disso, o dia 20 de novembro permite estender reflexões sobre as barreiras que os negros ainda enfrentam para ter respeito, acesso a serviços básicos e inserção em espaços como o mercado de trabalho e a cidade.

Pensando nisso, elaboramos esse conteúdo com dicas de como sua escola pode trabalhar o tema ao longo do ano e como desenvolver uma cultura de respeito e valorização da formação da nossa população. Continue a leitura!

Confira também: Como promover uma educação antirracista na escola

O que esperar da gestão escolar no Dia da Consciência Negra?

Antes mesmo de pensar no contexto da sala de aula, a primeira pergunta que pode surgir na sua mente é: como o gestor escolar pode atuar frente a uma temática tão importante? Confira alguns posicionamentos necessários:

  • Incentive o debate sobre o assunto;
  • Tenha uma equipe diversa;
  • Prepare sua equipe para compreender questões que atravessam o tema, como a diversidade e o racismo;
  • Inclua livros de autoras e autores negros na bibliografia obrigatória da escola;
  • Fale sobre o tema com alunos, professores e responsáveis! A família deve estar presente e ciente sempre, colaborando com a escola;
  • Não se omita em casos de racismo!
  • Tenha um estatuto bem definido para atuar nessas situações;
  • Promova uma semana da Consciência Negra – e amplie o debate para o ano inteiro!

Como abordar o Dia da Consciência Negra na escola?

Se você acha que falta material sobre o tema, seus problemas acabaram!
Separamos uma série de vídeos, documentários e livros para falar tanto sobre o Dia da Consciência Negra, quanto sobre racismo, literatura brasileira, infância, beleza e até mesmo empreendedorismo.

Ao final, temos dicas para os professores trabalharem o assunto em sala de aula. Confira!

Filmes e vídeos para trabalhar o Dia da Consciência Negra

Produzido por Nátaly Neri, youtuber e cientista social, o documentário “Negritudes Brasileiras” faz parte do projeto #CreatorsForChange do Youtube. O objetivo é fomentar o debate sobre identificação racial no Brasil, oferecendo ferramentas para que pessoas racializadas compreendam o porquê de essa questão ser tão complexa.

Ideal para: promover debates com os alunos adolescentes.


#PotênciasNegras é um projeto para o mês de novembro do canal do youtuber Murilo Araújo, que abordará as potências e pluralidades de pessoas negras em diversas áreas. O primeiro episódio é focado na arte e nos trabalhos do ator, diretor e escritor Lázaro Ramos.

Ideal para: trabalhar nas aulas e na formação dos professores, estimulando a discussão sobre o espaço da pessoa negra nas artes, por exemplo.


Nesse episódio do Conexão Futura, Conceição Evaristo e Fernanda Felisberto debatem sobre literatura afro-brasileira, construção e narrativas de personagens negras nos livros e a contribuição negra para a literatura nacional.

Ideal para: debater a escolha de livros e engajar as rodas de leitura!

Conteúdos sobre qualquer tema!

Mais que debater questões sobre o dia 20 de novembro, apresente criadores negros durante as atividades de todo o ano letivo. Isso é importante porque você evidencia pessoas que podem ser referências para seus alunos em qualquer área – ampliando também o debate sobre questões raciais.

Pessoas negras podem e devem falar sobre todos os assunto! Confira alguns exemplos:

Livros infantis escritos por autores negros

Livros infantis escritos por autores negros e brasileiros. Livros infantis com personagens negros.

Pensando na Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira nas escolas, elaboramos uma lista de livros protagonizados por pessoas negras e escritos por autores brasileiros.

O mundo no black power de Tayó – Kiusam de Oliveira

Tayó é uma menina negra que tem orgulho do cabelo crespo com penteado black power, enfeitando-o das mais diversas formas. “Tayó é uma princesinha que chega em forma de espelho para que outras princesinhas se mirem, se reconheçam e cresçam, cumprindo a única missão que nos foi dada, ao virmos viver neste planeta: a de sermos felizes.” 

Caderno sem rimas da Maria – Lázaro Ramos

Neste título chamado Caderno sem rimas da Maria, o autor se inspira em sua filha, inventa e ressignifica palavras e, nessa brincadeira, mostra que a liberdade da leitura nos faz viajar para lugares muito distantes.

Meninas negras – Madu Costa

Em Meninas Negras, Madu Costa fala da vida e dos sonhos de 3 meninas negras, que aprende e respeitam sua ancestralidade africana.

Amoras – Emicida

Uma história cheia de simplicidade e poesia, que mostra a importância de nos reconhecermos nos pequenos detalhes do mundo. 

A menina transparente – Elisa Lucinda

Uma menina que mora na música, no mar, na comida da panela, nas flores e no coração dos apaixonados. Mas, às vezes, ela aparece tão de mansinho que tem gente que nem percebe e a deixa de lado. Qual o nome dela? 

Meu pai vai me buscar na escola – Junião

Quando sai da escola no colo de seu pai, o menino encontra o mundo. E, nesse mundo de todo dia, cada dia é uma aventura. 

Dia nacional do livro: Como aproveitar a data para incentivar a leitura

Dicas de atividades para o Dia da Consciência Negra em sala de aula

Antes de mais nada, leia e se atualize sempre sobre questões raciais no Brasil e prepare-se para lidar com qualquer dúvida ou situação que venha ocorrer em sala de aula. Em seguida:

  • Apresente produções e narrativas de pessoas negras: autores, diretores de filmes e cantores;
  • Promova uma roda de leitura com autores e histórias negras;
  • Realize um cinedebate tematizado com questões como racismo, colorismo, “black money“, afrofuturismo, “blackface”, cultura afro-brasileira e outras. Comece pesquisando um pouco sobre esses temas atuais;
  • Nas aulas de português, apresente as palavras do dia a dia que tem origem africana;
  • Insira nas aulas de história módulos para falar de história africana;
  • Aprofunde o debate sobre a escravidão no Brasil e suas raízes e suas consequências para a formação do país;
  • Conheça e não reproduza expressões racistas.

Vozes negras na literatura: a importância da representatividade nos livros infantis

Faça sua parte por uma educação inovadora!

Veja o Dia da Consciência Negra como um incentivo para o reconhecimento da luta da população negra contra a escravidão e suas consequências – até hoje tão presentes. Tome a data como ponto de partida para que você e sua equipe construam uma escola respeitosa, que encara o debate sobre a formação do país e que diz “não!” ao racismo.

Clique e acesse: Infográfico Tendências em educação

Gostou das dicas? Compartilhe o conteúdo com um amigo e comente abaixo o que você tem feito para abordar o tema na sua escola!