Veja como a formação dos auxiliares de sala e estagiários influencia na qualidade do ensino



Em uma escola, é comum as classes contarem com estagiários e, principalmente nas turmas de Educação Infantil, com auxiliares de sala. Embora tenham funções e motivações distintas, tanto um como o outro deveriam ter sempre participação ativa em sala de aula, muitas vezes ajudando o professor na tarefa de transmitir conhecimentos e tomando parte em atividades pedagógicas.

Sabe-se que trabalhar com crianças requer conhecimento, delicadeza, tato e uma grande dose de paciência, mas não só: há toda uma técnica para se trabalhar com crianças em sala de aula, especialmente se forem crianças pequenas. E será que os auxiliares de sala e os estagiários estão preparados para isso? Eles serão uma ajuda para o professor ou causarão empecilhos na ministração das atividades?

Sobre os estagiários

Os estagiários, acreditando que estão lá para “aprender”, podem simplesmente se limitar a observar tudo, sem interagir com as crianças ou ter a oportunidade de colocar alguns de seus conhecimentos em prática, simplesmente por não saber como fazer isso.

Como os cursos atuais focam mais na parte teórica, muitos estudantes saem da escola completamente despreparados para assumir uma sala de aula. Isso poderia ser bastante minimizado, se fosse oferecido a eles um curso de formação, concomitantemente com o estágio.

Assim, ao invés de apenas sentar e observar, o ideal seria que o estagiário tivesse uma participação mais ativa na sala, auxiliando e às vezes até substituindo o professor durante as atividades com as crianças, adquirindo conhecimentos e prática, que lhe serão úteis no futuro.

Incentive seus professores a conversarem com os estagiários para dar dicas de como  se portar e como agir em situações do dia a dia. Além de deixá-los mais tranquilos, é uma ótima forma de integrar sua equipe e somar os conhecimentos dos professores mais experientes e dos mais novos.

Auxiliares de sala e sua importância no ensino

Os auxiliares, muitas vezes sem o embasamento teórico e prático do professor, podem considerar que suas funções são somente a de manter as crianças limpas, alimentadas, vigiando-as para que não se machuquem ou machuquem os coleguinhas, ou levando-as para os pais na saída da escola.

Na verdade, a função de auxiliar de sala é muito mais do que isso: eles, estando em contato frequente com as crianças, muitas vezes até mais que o próprio professor, também podem e devem trabalhar em atividades pedagógicas com as crianças e devem ser orientados constantemente, de acordo com o planejamento pedagógico da escola.

É importante também que os auxiliares tenham noções de primeiros socorros, higiene e nutrição, pois tudo isso faz parte do campo de atuação deles, garantindo a qualidade de seu trabalho e o bom atendimento às crianças, evitando erros e maus hábitos provenientes de experiências anteriores.

Cursos de formação: estratégia de marketing

Oferecer cursos de formação aos auxiliares e estagiários é uma ótima prática para manter sua equipe engajada e conta com uma vantagem adicional: passa uma imagem de profissionalismo e seriedade, inspirando confiança e segurança aos pais. Afinal, ninguém quer deixar seus filhos na mão de pessoas despreparadas.

Dessa forma, cursos de formação podem ser também uma ferramenta positiva de marketing educacional, ressaltando a seriedade da instituição de ensino, e o cuidado da mesma em trabalhar  com bons profissionais, sempre atualizados e preparados para cuidar dos alunos da melhor forma possível.

Como tem sido a formação dos auxiliares de sala e estagiários em sua escola? Considera que é importante que eles tenham cursos de formação? Compartilhe suas experiências!

banner_infografico-perfil-professores_750x125

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

3 comentários em “Veja como a formação dos auxiliares de sala e estagiários influencia na qualidade do ensino”

  1. Author Image géssica disse:

    sou gestora de uma escola infantil e vou receber estagiarias que estão cursando o magistério e pedagogia. gostaria da ajuda de vocês para desenvolver atividades para elas na escola, funções, ou até mesmo um projeto, pois o estagio de observação fica muito vago. gostaria da opinião e ajuda obrigada.

    Responder
    1. Olá Géssica! Sou diretora de um colégio particular em São Barnardo, SP. Os professores, qdo ingressam na escola, recebem o “Manual do Colaborador”. Há uma parte específica para os assistentes de classe:

      Cara assistente de classe,
      Gostaríamos de sua atenção em relação às suas atribuições como membro importante do quadro de profissionais do Colégio Medina:
      Nos horários de entrada e saída
      Manter-se atenta ao chamado do rádio comunicador com vistas a abreviar o tempo de entrega do aluno ao responsável, especialmente nos horário de saída;
      Acompanhar os alunos em horário de entrada e saída da escola, e intervalos de aulas (recreio);
      Verificar se a criança está devidamente apresentável: cabelo penteado, mãos e nariz limpos etc.;
      Eximir-se de passar orientações aos pais sem autorização da direção/coordenação;
      Manter-se em silêncio nos momentos de oração;
      Na sala de aula
      Propiciar brincadeiras e aprendizagens orientadas pelo professor;
      Zelar pela segurança e bem-estar dos alunos (as malas, mochilas e lancheiras devem ser estacionadas em local próprio, de maneira organizada; os alunos devem ser orientados a zelar pelos livros, cadernos e demais materiais);
      Auxiliar os professores em aula, nas solicitações de materiais escolares ou de assistência aos alunos;
      Colaborar na execução de atividades cívicas, sociais, culturais e trabalhos curriculares;
      Participar com comprometimento e respeito, das atividades desenvolvidas pelo professor, em sala de aula, ou fora dela;
      Manter-se integrada com a professora e as crianças;
      Auxiliar na elaboração de materiais pedagógicos (jogos, materiais de sucata, e outros);
      Promover ambiente de respeito mútuo e cooperação, entre as crianças e demais profissionais do Colégio, proporcionando cuidado e educação;
      Atender as crianças respeitando a fase em que estão vivendo;
      Interessar-se e entender a proposta pedagógica da Educação Infantil;
      Atender prontamente as solicitações/necessidades das crianças;
      Zelar pela guarda de materiais e equipamentos de trabalho;
      Participar ativamente, no processo de adaptação das crianças e atendendo as suas necessidades;
      Participar do processo de integração entre colégio, família e comunidade;
      Nos horários de lanche e almoço
      Atender as crianças em suas necessidades básicas de higiene e alimentação, por meio de uma relação que possibilite o exercício da autonomia pessoal;
      Olhar atento aos momentos das refeições: incentivar as crianças que apresentam maior resistência à alimentação; orientar quanto aos hábitos de higiene (lavar as mãos antes e depois do lanche, assim como promover a escovação após cada refeição), providenciar para que os alunos desenvolvam o hábito de limpar o espaço em que tomaram as refeições;
      Comunicar aos professores questões específicas que se refiram aos hábitos alimentares e de higiene (ausência de lanche, de materiais para escovação, terminante recusa à alimentação etc.);
      No Parque
      Intermediar as brincadeiras: atuar junto às crianças, criar jogos e situações dramáticas a fim de que o simples escorregar pertença a um contexto;
      No Pátio
      Intermediar as brincadeiras: atuar junto às crianças, criar jogos e situações dramáticas a fim de que as brincadeiras reproduzam situações do cotidiano e assim ganhem maior significado na aprendizagem;
      Incentivar e orientar para que os alunos guardem os brinquedos após o uso.
      Demais situações
      Na ausência do professor, a sala será administrada pelo auxiliar de classe, com o planejamento que deverá ser deixado previamente;
      Seguir as orientações da coordenação/direção, assim como da secretaria;
      Comunicar ao professor e ao coordenador/diretor, anormalidades no processo de trabalho;
      Conhecer o processo de desenvolvimento da criança, mantendo-se atualizado, através de leituras, encontros pedagógicos, formação continuada em serviço, seminários e outros eventos;
      Realizar outras atividades correlatas com a função.

      Espero que este material possa te ajudar. Abraços!

      Responder

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email