O que o bullying nos ensina sobre gestão escolar?

O que o bullying nos ensina sobre gestão escolar?



Alguns comportamentos ofensivos ou agressivos são considerados normais entre crianças e adolescentes. Porém, quando estas ofensas ou agressões tornam-se constrangedoras e constantes, elas deixam de ser consideradas aceitáveis e passam a se enquadrar na prática de bullying.

Segundo estatísticas, uma em cada dez vítimas de bullying sofre diariamente com esse problema e uma em cada cinco vítimas sofre intimidação de uma a duas vezes por mês (Mahoney, 2012). Infelizmente, raramente, o aluno agredido consegue prever quando a ação ocorrerá, o que torna ainda mais difícil se livrar das agressões.

A prática do bullying nas escolas e cursos é um problema grave, que traz consequências sérias às vítimas e deve ser combatido com afinco pelas instituições de ensino. A lei antibullying, que entrou em vigor em fevereiro de 2016, reforça a importância das instituições atuarem para combater a esse mal e obriga os estabelecimentos de ensino a adotarem uma série de ações para que este objetivo seja alcançado.

Veja algumas dicas de como combater o bullying na sua escola ou curso

1. Tenha uma definição clara sobre o que é bullying

A intimidação sistemática ocorre em todos os níveis de ensino, em todas as classes sociais e em cursos e escolas públicas e particulares. O primeiro passo para a extinção desse mal é ter um conceito claro sobre o que é bullying:

O bullying, também conhecido como intimidação sistemática, caracteriza-se pela prática de violência de qualquer gênero que ocorra de forma intencional e frequente contra uma ou mais pessoas. O que diferencia o bullying das provocações corriqueiras é que, na prática da intimidação sistemática, existe uma disparidade de forças, onde as vítimas não conseguem se defender de seus agressores.

As agressões podem ocorrer tanto no ambiente escolar quanto fora dele e podem se manifestar de várias formas, tais como: ameaças, provocações, apelidos, exclusão, empurrões, agressões físicas, não deixar alguém ir onde deseja ou fazer o que deseja, dentre outros meios. A severidade das agressões varia de caso para caso, mas todas elas devem ser tratadas com igual importância para que não causem danos maiores às vítimas.

2. Estabeleça regras claras e cumpra

Estabelecer regras apropriadas antibullying de acordo com a faixa etária dos alunos é essencial. O ideal é que as regras:

  • Sejam feitas de forma positiva;

  • Sejam no máximo cinco, para fácil memorização;

  • Sejam adequadas à faixa etária dos alunos – quanto mais novos, mais simples elas devem ser;

  • Sejam ensinadas a todos os alunos e exemplificadas, uma a uma, para melhor compreensão;

  • Deixem claro que a prática do bullying não será tolerada pela escola

Estabelecer regras é importante para mostrar para os  pais e responsáveis que sua escola ou curso está se movimentando para prevenir qualquer tipo de violência, para os agressores, que suas as ações não estão passando despercebidas e, para as vítimas, que a instituição esta ciente do que está acontecendo e está disposta a ajudá-lo a acabar com o problema.

Baixe aqui um material que vai te ajudar a montar uma cartilha antibullying para sua escola ou curso 

3. Recompense a gentileza

Geralmente temos a tendência de chamar a atenção dos alunos quando se comportam mal, mas nem sempre os elogiamos quando têm boas atitudes. Elogiar é incentivar os alunos a serem mais gentis, pois eles vão se sentir motivados para melhorar cada vez mais, se houver um incentivo. Dessa forma, iremos ajudar a evitar e prevenir o bullying.

Promova a cultura da cooperação, desenvolva a empatia e cultive bons valores éticos e morais nos seus estudantes. Além de ajudar a acabar com o bullying, essa é uma excelente maneira de formar cidadãos mais preocupados com o próximo e engajados em ajudar os outros.

4. Observe o comportamento dos alunos e fique atento aos sinais

Cabe ao gestor orientar todos os agentes envolvidos no processo educacional a observarem a atitude dos alunos e relatar ações suspeitas. Merendeiras, inspetores, professores, membros da secretaria, cuidadores e também o gestor devem estar atentos e observar cuidadosamente os alunos para averiguar se há indícios de bullying.

Existem sinais que podem revelar que os alunos estão sofrendo algum tipo de intimidação e todos devem manter os olhos e ouvidos bem abertos para percebê-los. Fique em estado de alerta e as crianças ou adolescentes de sua instituição apresentam os seguintes sintomas:

  • Tem ferimentos inexplicados;

  • Tem dores de cabeça ou de estômago frequentes;

  • Possui alterações nos hábitos alimentares;

  • Apresenta dificuldade para dormir;

  • Está com as notas decaindo;

  • Está desinteressado pela escola;

  • Possui muitas faltas;

  • Perde amigos;

  • Destrói objetos de uso pessoal;

  • Tem a autoestima baixa.

É importante ter em mente que nem todos os estudantes irão apresentam os mesmos sintomas. Por isso, é fundamental estar atento a quaisquer mudanças de comportamento dos alunos.

É nessa hora que contar com uma gestão eficiente fará toda a diferença. A escola ou curso deve dispôr de ferramentas que possibilitem aos gestores e professores conhecerem o perfil dos alunos e seu histórico na instituição para mapear as ações que destoam de seu comportamento padrão.

Além disso, para que os colaboradores da instituição possam de fato estar engajados no combate ao bullying, é preciso que esta prática não represente um fardo em suas rotinas nem atrapalhe o desenvolvimento das suas atividades diárias. Sendo assim, para que ações de prevenção e combate à intimidação sistemática possam ser implementadas, é fundamental contar com ferramentas que otimizem o dia a dia dos profissionais da escola, evitando o retrabalho e facilitando a execução de tarefas rotineiras que podem ser automatizadas.

5. Envolva todos no processo de prevenção do bullying

A comunicação entre todas as partes envolvidas no processo educacional também é um item primordial para ter um quadro claro a respeito dos alunos e, como gestor, você deve se esforçar ao máximo para tornar sua instituição transparente para a comunidade escolar.

Os professores deverão conversar constantemente com os estudantes para ajudá-los a entender a gravidade do problema e combatê-lo. Os pais devem continuar o trabalho de observação dos alunos em casa e precisam ser orientados a informar prontamente a escola ou curso caso percebam algo de errado com seus filhos e a equipe da instituição precisa ser constantemente treinada e atualizada com as informações que precisam para cumprir com seu papel de prevenção.

Pode parecer difícil dar conta de organizar tantas informações ao mesmo tempo e manter todo mundo informado sobre o que acontece na instituição, porém, com a ajuda de ferramentas como os sistemas de gestão educacional e os aplicativos de comunicação, é possível manter tudo sobre controle e gerenciar com facilidade todas as áreas da escola ou curso sem estresse.

Não meça esforços para engajar sua equipe e colocar tudo nos eixos. Lembre-se que para alcançar uma gestão de excelência é preciso ter o controle total de tudo o que acontece e, quanto melhor for a comunicação e a organização da sua escola ou curso, mais fácil será cercear e evitar que o bullying ou qualquer outro mal se torne um problema perigoso e afete de maneira irreparável a sua instituição de ensino.

Deseja maiores informações sobre sistema de gestão escolar para auxiliar a prevenir o bullying? Clique aqui e conheça o WPensar!

banner_ebook-os-desafios-para-uma-gestao-de-sucesso_750x125

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email