Gestão Escolar - Conheça as melhores práticas para mediação de conflitos na sua instituição de ensino

Gestão Escolar – Conheça as melhores práticas para mediação de conflitos na sua instituição de ensino



A mediação de conflitos faz parte da gestão escolar e refere-se a processos e programas, que ensinam aos indivíduos conceitos e habilidades para a resolução de desavenças, por meio de estratégias de negociação, de mediação e de prevenção da violência. Essas estratégias são usadas em instituições de ensino de todos tipos para ajudar estudantes, professores, administradores e pais a resolverem os conflitos de forma eficaz.

Tipos de conflito

Apesar de sua conotação, um conflito não significa necessariamente algo ruim. Muito pelo contrário: os conflitos são uma parte natural da existência humana e são  necessários para que possamos expandir nosso ponto de vista e aprender a lidar com opiniões diferentes.

A forma como lidamos com o conflito que vai determinar se seu resultado será produtivo ou não para as pessoas e para o ambiente na qual estão inseridas.

De acordo com sua classificação e sua condução, os conflitos podem ser:

Funcionais ou Produtivos

  • Os conflitos Funcionais apoiam o objetivo do grupo e melhoram seu desempenho.

Disfuncionais ou Destrutivos

  • Os conflitos Disfuncionais atrapalham o desempenho do grupo.

Muitas crianças e adultos não possuem as habilidades necessárias para efetivamente resolver os atritos com seus pares e quando essas habilidades não são desenvolvidas, é comum que os envolvidos adotem uma postura mais reativa e fiquem presos em um padrão de respostas deficiente e tendenciosas ao atrito, deixando de explorar outras possibilidades de resolução de problemas.

No entanto, qualquer pessoa pode aprender rapidamente a usar os conceitos de resolução de problemas se lhe for dada a oportunidade de praticar. A aquisição de competências de gestão de conflitos capacita os indivíduos a assumir a responsabilidade por seus próprios conflitos e para a resolução dos mesmos.

Os 5 comportamentos mais comuns diante de uma situação de conflito:

De acordo com pesquisas sobre padrão de comportamento realizadas por estudiosos da área de recursos humanos, existem cinco estilos de comportamento que se repetem diante das situações de conflitos. São eles:

Competitivo: reflete a intensidade de pressão e influência que um membro da equipe usa para impor a sua vontade quando uma ação decisiva precisa ser tomada rapidamente. O objetivo é ganhar dos demais e fazer valer seu ponto de vista.

Evitação: é  geralmente utilizado quando o assunto é trivial, quando não há a possibilidade de ganhar a discussão com os demais ou quando um desentendimento pode ser muito oneroso para a pessoa ou para a equipe. 

Ponderação: ocorre  quando os objetivos dos dois lados são igualmente importantes e/ou quando os componentes da equipe têm igual poder. A característica principal deste comportamento é ter jogo de cintura.

Acomodação: geralmente ocorre quando o assunto é menos importante do que outros para a equipe ou quando se pretende guardar créditos sociais para outras situações. A característica principal deste comportamento é “ir levando”.

Colaboração: é marcado por um alto grau de cooperação e  negociação entre ambas as partes. O objetivo é resolver o conflito para que ambas as partes se comprometam com a solução e saiam ganhando.

Como aprender a mediar conflitos

Todos os alunos, funcionários da escola, pais e membros da comunidade que trabalham com jovens devem receber treinamento de gestão de conflitos. Caso este objetivo não possa ser realizado imediatamente, ele deve ser incluído nas metas da escola e ser alcançado o mais breve possível.

Tanto no ambiente escolar quanto fora dele, há habilidades e competências que ajudam as pessoas a gerir de forma mais eficaz os diferentes tipos de confrontos e que devem ser estimuladas constantemente. Entre elas estão:

  • Compreender os valores e crenças próprias;
  • Reconhecer as próprias emoções;
  • Reconhecer as emoções dos outros;
  • Ser capaz de expressar estrategicamente a emoção;
  • Ser capaz de controlar a emoção negativa – especialmente a raiva;
  • Ser capaz de falar sobre a emoção;
  • Capacidade de usar linguagem e comportamento não ofensivos;
  • Capacidade de articular a sua visão da situação;
  • Capacidade de contrastar e comparar dados;
  • Capacidade de prever e analisar situações;

No ambiente escolar, o personagem principal na mediação de conflitos é o professor, afinal, ele que está na linha de frente lidando com os alunos dia a dia, transmitindo, mais do que conhecimentos, valores que os alunos levarão para a vida. Por seu papel formador, é papel da escola capacitar seus profissionais para que possam lidar da melhor forma com as diferentes situações que se apresentam e desenvolver nos alunos a empatia, senso de comunidade e respeito mútuo para que se tornem cidadãos de bem e disseminem esses comportamentos.

Os professores e funcionários da sua escola são capacitados para enfrentar conflitos escolares? Compartilhe conosco nos comentários.

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email