Comunicação inclusiva: entenda o que é e saiba como implementar em sua escola



Desde 1994 iniciou-se no Brasil o processo de inclusão escolar, que trouxe a questão da adaptação das instituições de ensino para alunos portadores de necessidades especiais como principal preocupação dos gestores das escolas. No entanto, inclusão é um tema muito mais abrangente do que a acessibilidade em si: nela estão inseridos também os cuidados e adaptações necessários do processo de aprendizagem e da socialização, de forma a proporcionar aos alunos condições para que se sintam parte ativa e efetivamente incluída no ambiente escolar.

Para que o ambiente de ensino atenda às necessidades desses alunos, faz-se necessário que os gestores escolares preocupem-se em implementar na instituição a comunicação inclusiva. A comunicação inclusiva reconhece que as pessoas exprimem-se de modos variados e encoraja o uso de recursos comunicacionais diferentes, incluindo as formas verbais e as não verbais.

Como implementar essa comunicação em sua instituição de ensino? Sugerimos aqui 6 passos para que você possa colocar a comunicação inclusiva em prática ainda nesse ano letivo! Atente que alguns procedimentos não demandam quaisquer investimentos, porém outros necessitam de recursos orçamentários.

1. Reúna-se com a equipe escolar para colher ideias e feedbacks

Promova um encontro com o pessoal que trabalha em sua escola, incluindo as pessoas responsáveis pela limpeza e alimentação, para que juntos, através da experiência e vivência com alunos, parentes ou conhecidos, possam identificar as necessidades de comunicação dos alunos especiais. Não se esqueça de incluir todo e qualquer tipo de necessidade especial, como a visual, auditiva, cognitiva, de locomoção, etc.

2. Prepare um questionário e faça uma pesquisa de opinião com a comunidade escolar

Elabore uma pesquisa com alunos e pais, a fim de saber quais tipos de necessidades especiais existem entre seus alunos, bem como entre seus familiares e responsáveis. Deixe bem claro que o intuito desse questionário é o de oferecer uma melhor qualidade de comunicação entre todos os envolvidos na comunidade escolar.

3. Elabore em conjunto as possíveis soluções para as necessidades apresentadas

Com base nos dados coletados na reunião prévia e nos questionários, identifique com clareza as necessidades que a instituição precisa atender para melhor comunicar-se com alunos, pais e funcionários. Em seguida, reúna professores e funcionários em grupos e monte dinâmicas de brainstorm com o objetivo de surgirem possíveis soluções para as dificuldades apresentadas.

Apesar de simples, algumas ideias podem transformar o ambiente escolar para a melhor, como por exemplo:

  • elaborar cartazes com fontes em tamanho extra grande;
  • comprar uma lupa eletrônica, que permite que um livro possa ser ampliado em uma proporção de até 40 vezes seu tamanho original;
  • colocar cartazes a um metro do chão, para que crianças pequenas ou pessoas que usam cadeiras de rodas possam ler;
  • aplicar o ensino de Libras ou, pelo menos, dos sinais básicos, para toda a equipe escolar;
  • adquirir materiais em braile e livros com figuras em auto-relevo;
  • produzir placas com desenhos ampliados que simbolizem atividades, comportamentos ou ambiente, como: “recreio”, “silêncio”, “atividade em grupo”, “banheiro”, etc.

4. Engaje professores e funcionários nesse projeto

Após a reunião, deixe cada grupo responsável pela elaboração de meios que efetivamente auxiliem a comunicação inclusiva. Estas equipes deverão pesquisar maneiras de concretizar esse tipo de comunicação em sua escola para cada tipo específico de necessidade especial. Isso deve ser feito dentro de um determinado prazo e cada grupo deve mostrar para o restante o resultado dessa pesquisa. Caso as ideias sejam aprovadas pela maioria, os grupos deverão elaborar os materiais inclusivos.

5. Busque recursos para colocar as ideias em prática

Enquanto gestor, busque meios que poderão auxiliá-lo a implantar o projeto de comunicação inclusiva em sua instituição. Em todos os estados brasileiros, há pelo menos um CAP – Centro de Apoio Pedagógico às pessoas com deficiência visual e um CAS – Centro de Capacitação de Profissionais para a área de Surdez. São estabelecimentos instituídos pelo MEC e oferecem uma série de serviços gratuitos.

Procure também por outras fontes de recursos ou aprendizagem, como por exemplo a AVAPE – Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência. Por meio dessas e outras organizações, você poderá adquirir materiais e/ou orientação para melhor implantar a comunicação inclusiva em sua escola.

6. Convide a comunidade escolar para participar desse projeto

Organize o Dia da Comunicação Inclusiva e convide parceiros, alunos e seus familiares para participarem desse evento. Produza convites inclusivos e certifique-se de incluir na programação vídeos, palestras, workshops e panfletos educativos sobre o tema.

Essa prática, além de aproximar a família da escola, é muito importante para motivar os alunos e deixá-los mais seguros, sabendo que seu aprendizado e bem-estar são importantes para a comunidade escolar.

O local desse encontro deve ser acessível e com comunicação visual e sinalização inclusiva, de forma que todos se sintam contemplados.

É certo que um projeto como esse demandará tempo, esforço e criatividade. Deve ser um programa constante e, com certeza, será permeado de erros e acertos, mas é dessa forma que se consegue atingir um resultado compensador!

Como sua instituição trabalha a comunicação inclusiva? Compartilhe as ideias conosco!

banner-pagina-de-materiais (1)Agende uma demo - Geral

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email