Como o bom acompanhamento dos alunos pode reduzir a evasão escolar



Ser professor é um verdadeiro desafio. Além de estar bem preparado para passar conteúdo para os alunos, é preciso lidar com uma série de questões que muitas vezes saem completamente do alcance do profissional. Uma dessas questões é a evasão escolar. Basta imaginar aquele dia em que o professor tenta, tenta, mas mesmo assim percebe que uma parte considerável dos alunos não está tão interessada na aula. É sempre necessário prestar atenção nisso.

Alunos que vão aos poucos se desinteressando pela aula acumulam assunto e depois é mais difícil voltar ao bom desempenho. Muitos deles veem como saída desistir de uma vez da escola para tentar fazer outra coisa. Procurar contornar esse expediente é de fato uma questão muito delicada que exige o compromisso e dedicação de várias partes envolvidas no caso, não somente do professor.

Mesmo que não dependa apenas do professor, é um fato que o passo inicial deve ser tomado por ele. É o professor que está em sala de aula para perceber quando algo assim acontece, para definir o momento em que um aluno decide mexer no celular em vez de prestar atenção à aula. O primeiro passo em direção à mudança pode vir em forma de uma simples conversa com o aluno a princípio. Vários fatores podem estar influenciando o que acontece. No caso de a desatenção ocorrer em poucos alunos, é provável que eles estejam vivendo alguma questão extra-classe. Dependendo de qual seja a questão os pais podem ser envolvidos. Mas uma conversa inicial com o aluno já é muita coisa. Pergunte ao aluno se ele(a) está gostando da aula, no que tem dificuldades, quais são as partes que não entende etc. e aos poucos vá criando um diagnóstico pessoal de por que aquele aluno anda tendo dificuldades para se concentrar.

É um número bastante penoso, mas a verdade é que hoje no Brasil em cada 100 crianças que iniciam o ensino fundamental apenas 36 delas conseguem concluí-lo. Entre os principais fatores para se deixar a escola estão alta repetência e a crença de alguns alunos que aquilo que se aprende na escola não tem importância. É claro que para que o aluno chegue a esses extremos, antes ele passa por um processo de desmotivação, e é justamente aí que devem atuar os profissionais da educação.

Trazer o assunto da evasão para as reuniões pedagógicas é outra boa ideia. Nessas reuniões deve-se acompanhar a frequência dos alunos, os professores podem aproveitar para falar com os pais de certos alunos que não adam demonstrando tanto interesse na sala de aula.

Aqui entra o próximo passo importante, conversar com os pais. Uma vez que se diagnosticou o problema com o aluno, pode-se passar para um encontro sincero com os pais do mesmo. Muitas vezes eles não sabem, mas os pais podem ser fator de grande ajuda para o aumento de interesse do aluno. Os pais podem ajudar o aluno que está com dificuldade em determinada matéria e assim esses alunos vão perceber que o problema era com um detalhe e não com o todo, voltando a se empolgar com as aulas. O que é verdadeiramente essencial é que esse acompanhamento não pare. Um aluno pode voltar a ficar desmotivado caso as circunstâncias voltem a se tornar iguais.

 

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email