Como desenvolver uma cultura de cooperação e afastar sua instituição da prática do bullying

Como desenvolver uma cultura de cooperação e afastar sua instituição da prática do bullying



O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, sinônimo de valentão, e é utilizado para descrever uma das práticas violentas que mais cresce no mundo, principalmente nas instituições de ensino. Consiste em agressões físicas ou verbais realizadas intencionalmente entre os jovens e que comprometem tanto as relações sociais quanto o aprendizado nas escolas. Nos últimos anos, as instituições de ensino vêm se posicionando no sentido de não tolerar a prática do bullying ou qualquer tipo de manifestação preconceituosa.

Mas quais métodos podem ser adotados para tal? Qual o papel da escola na consolidação dos valores entre seus alunos? O desenvolvimento de uma cultura de cooperação está diretamente relacionado a este posicionamento: entender o processo educacional como uma prática que conduza à cooperação e ao respeito mútuo pode ser o caminho para evitar o bullying nas escolas.

A cultura de cooperação nas instituições de ensino

O desenvolvimento de uma cultura de cooperação nas instituições de ensino relaciona-se com o entendimento do espaço escolar não apenas como um local de ensino formal, mas também de formação do jovem como cidadão. Em outras palavras, a escola tem papel fundamental no desenvolvimento dos valores dos jovens, estabelecendo conceitos relacionados a seus direitos e deveres, cooperação, respeito e solidariedade. É importante, portanto, que ofereça subsídios para que os diferentes envolvidos na comunidade escolar possam atuar como exemplo no processo educativo, incentivando atitudes positivas e repelindo atitudes violentas.

O bullying vem sendo tratado com cada vez mais seriedade pela comunidade escolar e pelo governo de diversos países. Apesar de não haver uma fórmula pronta para garantir a não ocorrência desta prática, algumas medidas para o desenvolvimento de uma cultura de cooperação podem contribuir para evitar este tipo de violência. Confira:

Como uma cultura de cooperação pode afastar o bullying 

Desenvolvimento da cooperação entre os alunos

Incentivar os jovens a entender a importância dos demais alunos, professores, gestores e funcionários é essencial para incentivar uma cultura de cooperação. É importante que a escola ofereça oportunidades para que os jovens entendam os benefícios do trabalho em equipe e a contribuição de cada um para o sucesso desta. Os jogos cooperativos são para tal uma excelente ferramenta. Consistem em atividades nas quais é necessário um esforço conjunto para se atingir um objetivo comum, contrariando a estrutura competitiva e incentivando a participação total dos alunos. Os jogos coopertativos abrem espaço para discussão acerca do comportamento dos membros do grupo e estimulam a cooperação entre eles.

Um exemplo simples é a utilização de um saco grande, que pode ser confeccionado na própria escola e que comporte os alunos de uma turma. Os alunos devem ser questionados se realmente cabem neste saco e, após constatarem que sim, percorrer em conjunto um percurso definido pelo professor. Este jogo estimula a comunicação entre os alunos, fazendo com que se envolvam em um objetivo comum e tenham mais contato uns com os outros.

Outro jogo cooperativo interessante envolve o exercício de sentar em grupo. Os alunos devem estar posicionados em pé em um círculo, voltados para as costas um do outro. O professor deve instruí-los a se aproximarem de forma que todos sentem no joelho de quem está atrás. O objetivo do jogo é encontrar um equilíbrio estável para o grupo, estimulando os alunos a comunicar-se quando sentirem instabilidade no círculo. Estes jogos são ferramentas super interessantes e que com um pouco de criatividade do professor podem ser facilmente adaptados também para a absorção do conteúdo da disciplina por ele lecionada.

Abertura para o diálogo e respeito mútuo

No relacionamento com os alunos é fundamental que professores e gestores atuem como exemplo de postura respeitosa, agindo de forma positiva e proativa no que se refere às sugestões e opiniões dos jovens. As regras da escola devem ser apresentadas aos alunos de forma explicativa, fazendo com que entendam suas razões de existir e os educadores devem oferecer oportunidades de diálogo que estimulem a abertura de um relacionamento de confiança e cooperação. A comunicação deve ser estendida também para os pais: é fundamental que estes estejam cientes dos problemas relacionados ao bullying escolar e de como podem atuar junto aos seus filhos para evita-lo.

Estimular e valorizar a solidariedade

Campanhas solidárias são uma excelente forma de não somente desenvolver o trabalho cooperativo, mas de estimular a interação de todos os membros da comunidade escolar em prol de um objetivo. São, ainda, uma ótima oportunidade para incentivar valores éticos e morais e afastar atividades preconceituosas. Envolver a comunidade escolar em campanhas de doação, por exemplo, contribui para o aprendizado do jovem com relação ao seu papel como cidadão e à importância dos demais para atingir um objetivo comum.

De que forma sua instituição vem atuando no sentido de evitar as práticas de bullying? Compartilhe ideias e experiências conosco nos comentários!

banner-ebook-bullying-cartilha1-750x125-_editado

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email