5 táticas para os pais dos alunos ajudarem a acabar com o bullying nas escolas

5 táticas para os pais dos alunos ajudarem a acabar com o bullying nas escolas



Bullying é responsabilidade somente da escola, certo? Errado! Também é, mas não deixa de ser um problema da família e da sociedade. A grande preocupação é que os casos de bullying têm sido frequentes e, muitas vezes, o agredido não conta para ninguém, apenas se isola socialmente.

Por isso, é necessário que os pais acompanhem de perto o comportamento do filho e ajudem para que ele não se torne vítima ou agressor. Prevenção ainda é o melhor remédio!

Bullying são todos os atos de humilhação, intimidação e agressão moral ou física que ocorram de maneira contínua. Ou seja, insultos verbais, apelidos pejorativos, ofensa moral, com teor sexual, exclusão social, chantagem ou tentativa de manipulação psicológica, ataque físico ou material (como destruir pertences, por exemplo), são passíveis de pena e valem, inclusive, para o meio virtual. Portanto, quaisquer atitudes com o objetivo de criar constrangimento psicológico ou social que resultem em sofrimento ou ofensa é considerado bullying e não deve ser encarado como uma implicância natural.

Veja 5 dicas para evitar o bullying

1 – Observe e converse com o seu filho

Será que você sabe o que está acontecendo com seu filho, no dia a dia dele na escola? É natural que ele tenha segredos, mas é preciso ficar atento para que qualquer mudança de comportamento seja rapidamente notada e tratada. Isso vale tanto para um afastamento, no caso de ele estar sendo vítima de bullying, quanto para atitudes mais agressivas, que possam indicar que ele esteja sendo autor do bullying com os colegas. Muito diálogo e observação são essenciais.

2 – Faça visitas à escola, sem avisar

Sabe aquela tarde de folga que você tem? Aproveite para dar uma passadinha na escola, de preferência na hora do recreio. Como encontrou o seu filho? Estava com amigos? Isolado? Caso tenha tempo, procure participar de atividades na escola, como festas, feira de ciências e outros eventos. Seja voluntário em alguma ação social promovida pela escola e fique perto dos seu filho observando-o. Você pode ajudar na organização de jogos e outras atividades que possam colaborar para que o aluno conheça pessoas novas e amplie o seu contato social.

3 – Fique atento aos sinais

Saber identificar se seu filho está sendo vítima de bullying não é tão fácil. Mas é possível. Ele perde frequentemente objetos na escola? Tem reclamado várias vezes de dor de cabeça, dor de estômago ou outros sintomas que não se vê claramente, mas que o impedem de frequentar as aulas? Ele costuma chegar mais tarde ou sujo em casa, com vontade de chorar ou muito irritado? Se mostra triste e inquieto regularmente? Se você respondeu sim a uma ou mais perguntas, fique atento! Procure o professor, converse com ele e, juntos, combinem de acompanhar o aluno mais de perto. Ele pode estar precisando de ajuda.

4 – Ensine sempre

Para garantir que seu filho não vá praticar bullying, é necessário ensiná-lo desde cedo e acompanhá-lo em todas as idades. Ainda na fase pré-escolar, fale que ele não deve bater, empurrar e nem provocar os colegas. Ensine a importância de respeitar os amiguinhos e seja o exemplo no dia a dia. Caso ele faça algo, pergunte se ele gostaria de estar no lugar do colega que sofreu a ação dele e explique que não deve ser feito. Ao ensinar que ações assim são erradas, você ajuda a prevenir o bullying.

Ao mesmo tempo, oriente sobre como agir nos casos em que ele é provocado. Diga para ignorar e procurar ajuda de um adulto ou responsável, podendo ser o professor ou um familiar.

5 – O que é certo e o que é errado?

Em casa, é necessário deixar claro o que é certo e o que é errado. Isso vale tanto para as ações do seu filho quanto para as ações dos outros em relação a ele. Explique que não é normal agredir, ser agredido, intimidar ou ser intimidado. Fale cobre preconceitos, aceitação das diferenças e dê exemplos práticos.

Ensinar em casa e acompanhar o dia a dia dos filhos são iniciativas essenciais para evitar o bullying e até mesmo acabar com esta prática. Conforme previsto na lei anti-bullying, publicada no Diário Oficial da União em 9 de novembro de 2015 e em vigor desde fevereiro de 2016, a escola tem um papel fundamental nesse processo e deve atuar ativamente em prol dessa causa.

E você? Já lidou com o bullying? Conte para gente, nos comentários, se usou outros métodos que não foram citados aqui! 

Author Image

Por WPensar

Desenvolvemos a melhor e mais completa plataforma de gestão escolar para instituições de ensino, otimizando a capacidade gerencial e oferecendo uma nova visão da administração.

2 comentários em “5 táticas para os pais dos alunos ajudarem a acabar com o bullying nas escolas”

  1. Author Image Elane da SS disse:

    Parabéns pelo trabalho que tem sido feito através deste site.

    Responder
    1. Author Image WPensar disse:

      Que bom que você gostou! Obrigado!
      Você pode se inscrever na newsletter do blog! Enviamos conteúdo toda sexta-feira.

      Um abraço!

      Responder

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine e receba nossos posts direto no seu email